sábado, 10 de abril de 2010

10º Congresso BAD: um balanço pessoal


Terminou ontem ao final da tarde o 10º Congresso Nacional de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas, que decorreu no Centro Cultural Vila Flor em Guimarães, cidade que me acolhe há quase 10 anos, e que será capital europeia da cultura dentro de dois…

Como twittei ainda na mesa da sessão de encerramento, logo após o seu final, sentia-me cansado mas satisfeito com a forma como o Congresso decorreu. Depois de algumas horas de descanso, e antes que seja “sugado” para a voragem dos compromissos dos próximos dias (e do trabalho atrasado), é o momento de registar aqui algumas notas de balanço geral do congresso.

Devo confessar que estava um pouco receoso, mas julgo que o Congresso foi um sucesso (opinião que me foi transmitida também por algumas pessoas com quem tive oportunidade de falar no final) e acabou por superar as minhas expectativas. Como notas positivas gostava de destacar:
  • O nível geral das comunicações e das apresentações que me pareceu bom, e provavelmente ligeiramente superior ao de congressos anteriores;
  • O interesse e qualidade dos painéis. Participei em dois e assisti a um terceiro, e nesses três casos o nível das intervenções foi bom ou muito bom (com uma confrangedora excepção – ou, como diria o outro, vocês sabem do que estou a falar…) e o envolvimento de quem assistia no debate só não foi maior devido aos constrangimentos de tempo. Tive notícias também muito positivas de mais dois painéis em que não participei;
  • A inauguração de uma forte dinâmica 2.0 em torno do Congresso, na sua preparação e divulgação, durante a sua realização, e ainda neste momento pós-congresso (onde o blog está a servir para receber ainda comentários e sugestões relativamente às conclusões). Este “aggiornamento” é uma conquista que já não terá certamente recuo em próximos eventos, e espero que, pelo contrário, se estenda a toda a comunicação da BAD (e desde logo ao Website da Associação que é anacrónico sob vários pontos de vista);
  • O documento de conclusões que ainda foi possível elaborar e apresentar na sessão de encerramento, retomando uma tradição que tinha sido interrompida no 9º Congresso. Apesar de terem sido redigidas em contra-relógio (tal como as do 7º e 8º Congressos, recordando eu muito bem as condições em que foram escritas…), graças ao esforço da maioria dos membros do Conselho Científico, penso que o resultado final nos pode deixar satisfeitos. Espero que possam ainda ser melhoradas , com sugestões que os participantes do congresso podem enviar até ao dia 12.
Em contraponto com estas notas positivas, o Congresso também teve aspectos menos positivos a suscitarem algumas preocupações:
  • Em primeiro lugar a diminuição do número de participantes. Apesar de não se ter chegado a verificar a “catástrofe” que se chegou a temer, 450 participantes continua a ser um número baixo, não apenas comparativamente com congressos anteriores, mas também face ao universo de potencial participantes (que deve ser próximo dos dois milhares);
  • A reduzida participação na Assembleia Geral (cerca de uma centena), que espelha a situação de fraca participação na vida associativa, quer por apatia e desinteresse de muitos profissionais e membros da BAD, quer por deficiente comunicação da Associação com os seus membros (não foi definida e executada uma estratégia de divulgação da Assembleia nas sessões que decorreram na tarde em que esta se realizou). Tenho a esperança que o painel sobre a profissão no último dia, a informação transmitida pelo Presidente da BAD e o debate que se lhe seguiu, possam ter servido para acordar algumas consciências…;
  • A reduzida visibilidade mediática do Congresso, o que não ajuda a potenciar o eventual impacto político (aos diversos níveis) que ele poderia e deveria ter;
Mas estes três aspectos mais “sombrios” não ofuscam a impressão geral de um congresso vivo e de boa qualidade.

Finalmente, last but not least, o congresso foi a oportunidade de rever muitos colegas e alguns amigos (apesar de não ter podido conversar com a maior parte deles) e de uma boa cavaqueira, com bucho recheado (literal e metaforicamente…), com um velho amigo, companheiro e camarada de algumas grandes causas e de muitos pequenos nadas que fazem a nossa vida. Mesmo que o Congresso tivesse ficado aquém das minhas expectativas, o que não aconteceu, o SAL dessa amizade (ultimamente mantida quase só à distancia) já seria suficiente para recordar com satisfação estes dias em que Guimarães foi invadida por bibliotecários e arquivistas!



4 comentários:

Maria José Vitorino disse...

um artigo sobre o congresso nos media.. surpreendentemente, no Destak, jornal gratuito e presente também na web http://www.destak.pt/artigo/59548

sistema de recuperação disse...

Gostei do post

faço biblioteconomia na ufmg estou no 4º periodo
http: //sistemaderecuperacaodainformacao.blogspot.com/
http://biblioteconomiahoje.blogspot.com/

graduationdress disse...

Trendress is the company with many years experience, we are the best company for purchasing on discount wedding dresses , Graduation Dresses , flower girl dresses, mother of bride dresses, and other Formal Dresses directly from Hongkong. Our dresses prices are very cheap in the market, and in the same time goods come with quality guarantee. We have exclusive contracts with many Chinese and Indian manufacturers, who continuously supply our warehouses with their latest dress models.

Palomilla Apocatastásica disse...

Maravilhoso. Gostei do post. Eu uma bibliotecaria do Mexico.

 
Creative Commons License
Cibertecário 0.2 by Eloy Rodrigues is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Partilha nos termos da mesma Licença 2.5 Portugal License.